13 de setembro de 2017

PERDAS E GANHOS


Algumas pretensas adeptas ao SM, que se dizem submissas, nem de longe imaginam o que estão perdendo quando teimam em exibir ao mundo seus direitos, suas "personalidades fortes" e o quanto elas sabem se defender. Perdem o mesmo que perderam as mulheres que foram para as ruas em nome do feminismo na década de 60, para o episódio "Bra-Burning", a queima dos soutiens.

Embora o fato não tenha verdadeiramente acontecido, a atitude acabou marcando uma época. Grande parte delas hoje se arrepende, no entanto. Elas se esqueceram que, junto com os ganhos, vêm sempre as perdas e hoje lamentam o fato de não terem mais quem abra a porta do carro para elas e por terem que dividir a conta do motel.

Atualmente, no SM, acontece algo parecido. Praticantes do sexo apimentado, que se dizem submissas e até escravas, resolveram provar a todo custo que têm personalidade forte, um “cérebro privilegiado” e, o que é pior, que só fazem aquilo que lhes dá prazer. Na verdade, embora se digam submissas, elas querem o controle da situação e manipulam seus parceiros à exaustão. Algumas por trás dos bastidores, outras na caradura mesmo. 

As submissas verdadeiras elas chamam de "acéfalas"... rs.. A escrava “acéfala” é aquela serena, encantada com seu papel, cabeça baixa, olhos sempre brilhantes de emoção, lábios entreabertos, nada de pernas cruzadas, joelhos ligeiramente separados, demonstrando que nada e nem ninguém poderá impedir o acesso do Dono a qualquer parte do seu corpo, ou de sua alma. E o mais importante, ela vive totalmente imersa no prazer que advêm dos prazeres dEle, de suas práticas preferidas, dos brinquedinhos que Ele gosta de usar para torturas, não importa quais sejam.

Não é apenas no comportamento físico que ela demonstra o que é. Toda sua atitude é logo notada pela aura de submissão genuína que a envolve, pela maneira como se dirige a todos. Uma boa submissa não precisa demonstrar a qualidade de sua servidão. Ela só precisa ser totalmente subserviente a quem a possui e estar sempre pronta a atender os chamados de seu Dono. Ela pode dizer de si mesma que é submissa pois, além de ser, tem "POSTURA" de submissa.

Esta mulher vive envolta em luz inefável. É melíflua e muito respeitada porque tem coragem de calar o próprio cérebro para “funcionar” tão-somente através do cérebro de seu Dono. Talvez por isso, as que não entendem bem o que é verdadeiramente estar a serviços de alguém por vontade própria, não saibam o que é livremente se doar aos prazeres e interesses do outro e, por isso a julguem ...

As pretensas subs lutam para se igualar aos Tops, se consideram superiores, não respeitam a hierarquia, têm o desplante de tratar TOPs por "você"... falam com eles de igual para igual. Não têm nenhuma postura e morrem de medo da verdadeira servidão. Sonham que vivem o Sadomasoquismo, mas se as procurarmos muito, ainda assim não as encontraremos no playground oficial do BDSM.

Escravas “acéfalas”, agora sabemos porque recebemos esta qualificação. Somos mulheres fortes, com temperança, determinadas, despojadas no servir. SUBSERVIENTES, sim... Mas, com um maravilhoso poder de entrega. Só não sabemos quem nomeou as tais praticantes de sexo apimentado como “especialistas” em avaliação de cérebros, que curso fizeram que lhes faculta esta atividade.

À elas eu digo:

_Este é um texto/protesto. Tenho orgulho em bater no peito e dizer que, apesar das três graduações e um mestrado, me faço, sim, de acéfala. Eu e muitas amigas que também escolheram viver a verdadeira servidão.  Nos anulamos de bom grado, nos deixamos ser desconstruídas para sermos estudadas e planejadas para sermos de novo construídas. Nos entregamos para sermos moldadas, sem ao menos perguntarmos que forma teremos. A nós isto não importa, desde que a forma agrade aos nossos Donos. Somos exemplos de submissão, nos dedicamos ao máximo à arte de servir e jamais colocaríamos em primeiro plano nossas vontades... mesmo porque, um dia as trancamos num cofre cuja chave, assim como nós mesmas, se tornaram propriedade de quem nos comanda.

Ouso dizer que será bom que a leitura deste texto instigue à reflexão sobre a verdadeira entrega, submissão e ao ato de servir, assim serão feitas escolhas conscientes. Ninguém é obrigado a viver este estilo de vida. O Sadomasoquismo não deve ser seguido por modismo. Sua prática tem que estar vinculada ao prazer, senão pode acabar sendo uma fonte de questionamentos e frustrações. 


Meu DONO, Senhor Werther von AY erschaffen, leu este texto antes que eu o publicasse aqui e o aprovou assim como foi redigido. ELE diz que quem me critica está perdendo tempo pois ninguém pode questionar a qualidade da minha servidão, somente ELE, que se dá por satisfeito com a escrava submissa que O serve.


{W_[amar yasmine]}




8 comentários:

  1. Adorei o texto e o seu teor.

    Bjos
    Espero-te

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Larissa, pela visita e comentário. Ando meio em falta com meus amigos, pois ainda não posdo ficar muito tempo ao computador. Mas, tenha certeza que irei em breve te visitar também.
      Besos doces!

      {W_[amar yasmine]}

      Excluir
  2. Concordo plenamente com vc.
    Posso chegar numa partida de futebol com uma raquete de tênis e dizer queco MEU futebol é jogado assim.
    Ok, eu posso até jogar com a raquete de tênis mas não estarei jogando futebol.
    Da mesma forma vejo estas "submissas"... digam o que disserem, não estão servindo, não estão praticando BDSM, não são submissas.
    Simples assim
    Beijos, amada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc veio, amada, estou meio distante pq ainda não estou liberada pra mais tempo ao computador. Mas, isto vai nelhorar, se Deus quiser.
      Besos doces!

      {W_[amar yasmine]}

      Excluir
  3. Respostas
    1. Cidália, querida!
      {{{{{{{{{abraço apertadinho}}}}}}}}}

      {W_[amar yasmine]}

      Excluir
  4. Por incrível que pareça, as ditas "acéfalas" pensam. Pensam e entendem o real significado da submissão no contexto BDSM.
    É tudo tão simples!!!
    Mahatma Gandhi tem una frase que adotei no meu perfil - acreditar em algo e não viver, é hipocrisia.

    ResponderExcluir
  5. Dizem que ser submissa na vertente BDSM é tudo normal. Será mesmo? Uma mulher gostar de ser amarrada, açoitada, ser cuspida, levar com uma corda até ficar com marcas corporais, será que com isso tem prazer sexual?

    Respeito apenas

    Abraço

    ResponderExcluir

Sua presença é muito importante para nós, também seu comentário. Venha sempre!