16 de julho de 2017

A SANIDADE NA RELAÇÃO


Normalmente falamos muito sobre o SSC e as possíveis desagradáveis consequências para quem não se pauta por tal princípio; mas quando citamos estas letrinhas, nem sempre temos a real amplitude do seu significado. Para muitos o SSC restringe-se apenas à integridade física e a traumas emocionais profundos.
Há, entretanto, certas situações que se enquadram perfeitamente neste contexto apesar de nem sempre percebermos, talvez por serem mais abrangentes, o que as torna menos visíveis, ou palpáveis.
Poderíamos chamar de “o SSC da relação, do contexto, ou o lado light” do SSC.
Viver fetiches é uma questão de escolhas, aliás tudo na nossa vida passa por este “fazer escolhas”, o problema nem sempre está nestas, mas sim nas consequências daquilo que escolhemos fazer. A partir da escolha vivemos pelo menos três momentos distintos - o antes pode ser muito imaginativo e excitante, o durante pode ser realizador, e o depois pode ser bom, mas pode também significar algumas situações bastante desagradáveis...
Nem todo mundo responde da mesma forma às diversas práticas do BDSM, independentemente da posição assumida.
Há pouco tempo conversei com um casal de amigos, ele tinha um fetiche de voyeurismo e com o tempo começou a alimentar a ideia do Cuckold. Conversaram e como ela queria proporcionar a ele este prazer, partiram para a ação. Assim fizeram, mas depois disso ele passou a ter crises de ciúmes, a “Cornitude” passou a ser um peso para ele e o convívio entre os dois tornou-se bastante difícil. Durante um bom tempo ele não mais conseguia sequer beijar a namorada.


Tudo pode ser possível, mas nem tudo é aconselhável, especificamente em práticas que envolvam a degradação (Humilhação), ou aquelas que possam de alguma forma aludir a este sentimento. No caso em questão o feitiço virou contra o feiticeiro.
Alguém certamente dirá que isso é uma grande bobagem, mas a verdade é que isso acontece e quase acabou com uma relação até então “bem alicerçada” e longa.
Não basta ter a cumplicidade de fazer, é necessário ter uma cumplicidade de entendimentos, e entender a si em primeiro lugar.
Nessa brincadeira de adultos que vivemos é muito mais comum do que se pensa o fato de alguém estragar  (não exatamente lesionar) o seu brinquedo. Nem todo homem reage da forma imaginada quando o assunto é Strapon; dependendo da situação, isso pode funcionar como forma de humilhação, ou até como um prêmio. Para alguns homens o uso do Strapon pode ser altamente excitante, enquanto para outros algo momentaneamente broxante. Há também os que se veem irremediavelmente feridos em sua masculinidade e carregam este ônus por toda uma vida.


O empréstimo de escravas (os), nem sempre é possível, então, quando não devidamente abordado e trabalhado “haja empatia nestas horas” também pode colocar em risco o equilíbrio de uma relação.
Tudo tem lá as suas consequências, então tudo há de ser pensado, principalmente o depois. Inserir alguma prática nova na relação, por mais inofensiva que possa parecer, será sempre um passo no escuro.
Se você não tem uma “cabeça aberta”, principalmente para entender como pensa o outro lado, então não desça para brincar no playground... Mas, se descer, pense!


Werther von AY erschaffen

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. SENHOR WERTHER, meu DONO e meu AMOR!

    Quando digo do imenso orgulho que sinto em ser TUA, está aí um dos incontáveis motivos: Tua lucidez e a forma transparente como TE fazes entender.
    Obrigada em todos os momentos da vida por me permitires estar neste Lugar Sagrado que existe sob teus pés.
    Beijos encantados, de orgulho e adoração.

    {W_[amar yasmine]}
    *só TUA e de mais ninguém*


    ResponderExcluir

Sua presença é muito importante para nós, também seu comentário. Venha sempre!